quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Theodore Austin-Sparks

Postado por: O Criador & Criatura

BIOGRAFIA CRISTÃ : Theodore Austin-Sparks (1888-1971) também conhecido como T. Austin-Sparks, "Mr Sparks" ou simplesmente "T.A.S.", foi um Evangelista inglês, Escritor e Conferencista. Seu ministério influenciou muitas lideranças no cristianismo, por exemplo: Watchman Nee.

É difícil escrevermos sobre Sparks, poucas informações são disponibilizadas. Seus escritos não focalizam a sua pessoa, pelo contrário, conduzem o leitor para perto da Pessoa de Cristo. "T.A.S." sempre dizia as palavras de 2 Coríntios 4:5: "Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos [escravos], por amor de Jesus" (VRA).

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.". (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Theodore Austin-Sparks
Theodore Austin-Sparks.
(1888-1971)
Theodore Austin-Sparks nasceu em Londres, na Inglaterra. Durante a sua infância foi viver na Escócia com seus parentes. Seus parentes sempre ministravam porções da Bíblia nos seus tempos de meninice.

Aos 17 anos de idade enquanto transitava pelas ruas da cidade de Glasgow, uma das maiores cidades da Escócia, presenciou alguns jovens pregadores ao ar livre ministrando o Evangelho Salvífico. As palavras dos pregadores eram símplices, mas cheias de Poder e Vida do Alto, tais palavras penetraram seu coração com tanto impacto no seu espírito humano que resolveu assumir real compromisso com Cristo e Sua obra.

George Campbell Morgan
George Campbell Morgan.
(1863-1945)
Na sua juventude soberanamente Deus providenciou um mentor espiritual, o Sr. George Campbell Morgan.

G. Campbell Morgan foi um evangelista britânico, pregador e líder estudioso da Bíblia. Morgan durante sua infância e juventude foi influenciado pela tradição puritano-batista e pelo movimento "Irmãos de Plymouth". O ministério de D.L. Moody (1837-1899) também foi marcante para a sua vida.

Nos anos de 1883, G.C. Morgan trabalhou junto com D.L. Moody em uma turnê evangelística na Grã-Bretanha.

Tal homem com preciosas influências foi concedido por Deus para ser mentor de T. Austin-Sparks. O Sr. G. Campbell Morgan ministrava estudos bíblicos para Sparks e outros jovens, contudo, quem mais participava era Austin-Sparks, assim quase sempre era requisitado como preletor do grupo de jovens. Seu dom de pregação foi tão aperfeiçoado que constituiu um ministério e no término dos estudos bíblicos conduzidos por G.C. Morgan, muitas conferências evangélicas já expediam convites para T. Austin-Sparks ministrar pregações bíblicas.

Theodore Austin-Sparks não tinha dúvidas sobre sua regeneração, no entanto, sempre comparava a amplitude da Palavra de Deus contida na Bíblia com sua real condição de vida interior e expressão exterior. Sparks nunca admitiu enganar as pessoas com ministrações da Palavra profundas e abrangentes que não fossem vivenciadas no seu interior e reproduzidas nas suas atitudes como expressão exterior. Quando constatava que as Verdades Bíblicas não eram identificadas na sua vida, ficava muito triste e buscava arrependimento e iluminação do Espírito Santo para a sua vida.
Quarto antigo
Exemplo de Quarto antigo.

Certo dia, procurou sua esposa  e disse: "Eu vou para o nosso quarto; não quero que ninguém me interrompa. Não importa o que aconteça, eu não sairei daquele quarto até que saiba pelo Senhor qual caminho irei seguir". Naquele quarto, Austin-Sparks buscava incessantemente a renovação espiritual para a sua vida. Desejava ardentemente que Deus confirmasse o ministério para o qual fora chamado.

Permaneceu fechado no quarto durante todo o dia, ficou em silêncio diante do Senhor aguardando respostas. Leu durante horas a Bíblia até que iniciou a leitura do capítulo 6 de Romanos. Nesse momento, Sparks disse: "O céu foi aberto para mim e a luz brilhou no meu coração". Pela primeira vez, ele compreendeu que havia sido crucificado com Cristo e que o Espírito Santo estava nele e sobre ele para reproduzir a natureza de Cristo. Tal descoberta foi revolucionária para a vida de T. Austin-Sparks. Quando saiu do quarto, ele era um homem transformado e com um ministério renovado. Começou pregar a Jesus Cristo como Vida e Poder, exaltando o nome do Senhor Jesus acima de todas as outras coisas. Daquele dia em diante, nunca mais pregaria outra porção da Bíblia acima do próprio Cristo.

Nessa nova fase do seu ministério, começou a ensinar o "caminho da cruz", enfatizando a necessidade da operação da cruz no interior da vida de cada crente. Ele mesmo já experimentara a operação da cruz de Cristo no seu interior e percebera que tal operação produziu desfrute completamente novo da Vida de Cristo, o que para ele era como "um céu aberto".

Austin-Sparks escolheu enfatizar melhor o Corpo de Cristo e a liberdade do Espírito para que Deus utilizasse uma variedade de expressões nesta Terra e que em cada expressão existente fosse levantado testemunho do Cabeça que está no Céu.

Além da ajuda do Sr.George Campbell Morgan, também recebeu muita contribuição espiritual da Sra. Jessie Penn-Lewis que detinha claro entendimento sobre a operação interior da cruz na vida do cristão. Jessie constatou que Austin-Sparks seria o herdeiro do seu ministério que fora dado pelo Senhor Deus. Theodore Austin-Sparks exercitou os seus dons conferidos por Deus e alcançou a formação de um excelente ministério em Cristo. Foi um pregador e mestre muito querido e popular no segmento cristão chamado "Movimento Vencedor".

Austin-Sparks foi editor de uma revista e na edição de julho de 1966 escreveu: "É apenas em certas ocasiões que nós escrevemos acerca do nosso ministério. Nosso desejo não é atrair a atenção das pessoas para líderes e ministérios, mas ocupar os leitores com o Senhor Jesus e com o ministério de Sua Palavra. Mas de tempos em tempos, acreditamos ser sábio e importante lembrar nossos leitores do propósito que definitivamente governa nosso ministério - e que sempre tem governado...
O que é nosso ministério? Devemos retornar um pouco. O nome deste pequeno jornal que é a expressão impressa do nosso ministério durante esses 44 anos, incorpora o seu sentido - 'Testemunha e testemunho'. Testemunha é o vaso ou instrumento usado; Testemunho é o ministério dentro e através do vaso. O Testemunho sempre existiu, mas cresce através da luz de Deus - para a grandeza e plenitude de Jesus Cristo, o Filho de Deus e Filho do Homem. Esta grandeza tem sido centralizada e desdobrada em:

  1. Sua Pessoa;
  2. A imensidão do propósito eterno de Deus centralizado n'Ele e exclusivamente relacionado com Ele;
  3. A grandeza de Sua cruz como básica e essencial para a grandeza de Sua pessoa e obra nos crentes;
  4. A grandeza da Igreja que é Seu corpo essencial e escolhida para Sua manifestação final em plenitude e governo no novo Céu e nova Terra;
  5. A necessidade de que todo o povo de Deus saiba, não apenas da salvação, mas do imenso propósito de salvação no eterno conselho de Deus, sendo trazido ao pleno conhecimento e crescimento pelo suprimento de Cristo Jesus em ampla medida.

Nós percebemos que o Novo Testamento contém uma tremenda urgência nesta matéria; tal urgência é resumida nas palavras do apóstolo Paulo: 'advertindo a todo homem e ensinando a todo homem... a fim de que apresentemos todo homem perfeito [completo] em Cristo' (Colossenses 1:28). Cremos que todas as atividades soberanas do Espírito Santo são direcionadas para este alvo e determinadas por este objetivo.
Podem existir aspectos diferentes, mas o alvo é simples e único. Os grandes esforços evangelísticos e missionários que são governados pelo Espírito Santo têm este alvo em vista...
Entendemos honestamente que não é nossa comissão dizer às pessoas para deixarem suas denominações ou missões, mas nosso encargo é fornecer bom alimento espiritual para todos. O assunto do alimento espiritual tem espaço amplo no Novo Testamento, e se podemos corretamente ser chamados de 'ministério' e não de 'movimento' ou 'organização', esta alimentação das almas famintas mundo a fora pode certamente interpretar como nossa preocupação...".

Os líderes da época existentes no cristianismo ficaram incomodados com as pregações ministradas por T. Austin-Sparks, pois suas palavras eram fortes, cheias de impacto, fundamentadas na Bíblia, e principalmente, fluíam Vida e Poder do Alto.

No entanto, tal ministério valoroso em Vida e Poder não foi constituído em T. Austin-Sparks sem lutas e sofrimentos. Enfrentou grande luta quando ficou sem moradia e foi obrigado a morar na rua com sua esposa e filhos, mas essa situação não esmorecia a família Sparks que com muita insistência clamavam pela provisão de Deus em nome de Jesus Cristo. Assim, Deus que sempre ouve orações movidas pelo Espírito no nosso espírito humano e fundamentadas na Bíblia, encaminhou a solução do problema através de uma crente que servira ao Senhor Deus como missionária na Índia e foi muito ajudada pelo ministério de Sparks. Essa senhora cristã comprou uma escola em Honor Oak, área suburbana do bairro londrino de Lewisham e ofertou ao ministério. A escola foi transformada em um local de reuniões e comunhão cristã, bem como serviu como sede das conferências em Honor Oak. Nesse lugar Austin-Sparks estabeleceu moradia e ministrava grandes conferências em público e em Palavra. Pessoas de vários lugares apareciam para ouvir os sermões de T. Austin-Sparks e muito desfrute de Cristo era provado nas reuniões.

Watchman Nee e Austin-Sparks
Esquerda: Watchman Nee (1903-1972).
Direita: T. Austin-Sparks (1888-1971).
Em 1937, Watchman Nee (34 anos) conheceu Theodore Austin-Sparks (49 anos). Durante a juventude de Watchman Nee os livros de Austin-Sparks foram fundamentais para sua formação espiritual.

Nessa época Watchman Nee desfrutou das conferências maravilhosas ministradas por Sparks, no entanto, com o início da Segunda Guerra Mundial as conferências foram suspensas e retomaram as atividades no período de 1946 até 1950.

Austin-Sparks enfrentou muitas lutas e perseguições ao seu ministério, mas cria que durante o sofrimento Deus concede graça abundante e depois de toda luta nasce a vitória.

Poucos na história do cristianismo moderno enfrentaram tanta oposição. Livros e panfletos eram escritos contra ele, religiosos proferiam maldições para a sua vida. Facciosos o acusavam de falso mestre. A prova mais dura que enfrentou veio dos próprios cristãos. As lutas decorrentes de perseguições de incrédulos era compreensível, mas as calúnias dos crentes cortava-lhe o coração. Muitos cristãos que não concordavam com o seu ministério evitavam manter contato com ele, não estendiam a mão para cumprimentá-lo e o tratavam como um leproso espiritual. Esse foi o maior de todos os seus sofrimentos.

T. Austin-Sparks restaurou muitas verdades bíblicas que na época não eram ouvidas em nenhum outro movimento cristão. Sempre dizia frases de reflexão: "A Igreja é o Corpo de Cristo"; "precisamos ter uma Vida de Corpo, pois os membros de Cristo são membros uns dos outros"; "não podemos tomar a Igreja, que é o Corpo do nosso Senhor Jesus unida ao Cabeça Cristo que está à mão direita de Deus, e reduzi-la a algo terreno". Todas essas frases eram estranhas, pois no mundo cristão falava-se sobre conversão, estudo bíblico, oração, testemunho, missões, vida vitoriosa, mas não existiam expressões de impacto sobre a Igreja, sobre o Corpo de Cristo, sobre sermos membros uns dos outros. Austin-Sparks era uma voz profética, mas foi isolado, rejeitado e caluniado.

George Campbell Morgan (G.C. Morgan), Jessie Penn-LewisFrederick Brotherton Meyer (F.B. Meyer) e Albert Benjamin Simpson (A.B. Simpson) exerceram grande influência em sua vida. Costumava dizer que de todos os pregadores que conhecera quando jovem, A.B. Simpson era o mais espiritual e o que falava com mais Poder do Alto.

O ministério de Theodore Austin-Sparks focalizava três pontos:

  1. A universalidade e a centralidade da cruz;
  2. A importância suprema do Senhor Jesus. Jesus Cristo é o início e o fim de tudo, o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último. Tudo está em Cristo: a nova criação, o novo homem, etc;
  3. A Casa Espiritual de Deus: a Igreja é a Casa de Deus, a Noiva de Cristo, o Corpo do Senhor Jesus. Austin amava o povo de Deus, amava a Igreja. Ele dizia: "Isso é o coração da história, o coração da redenção". Por isso, costumava dizer: "Há algo além da salvação"; "A salvação não é o fim, mas é o meio para o fim. O fim que o Senhor tem é Sua habitação, Sua casa espiritual, Sua habitação no Espírito, e a salvação é o meio para nos colocar nessa casa espiritual de Deus".

As pessoas podiam não gostar de Austin-Sparks, não tolerar seu ministério, rejeitar suas convicções, mas Sparks deixou claro que toda exaltação cabe apenas ao Senhor Jesus, inclusive a sua vida foi motivada por isso, ou seja, expressar o Senhorio de Cristo não apenas em palavras mas sobretudo em atitudes.

"T.A.S." sempre enfatizou ao máximo a centralidade de Cristo e da cruz na experiência cristã. Todas as outras coisas benéficas são resultantes disso. Tudo o que Sparks ensinava era para levar os seus ouvintes e leitores de volta para o Senhorio de Cristo e para a Sua cruz. Nada mais importava!

Ele cria que todas as benesses existentes no seu ministério eram vindas dos Céus em Cristo, por isso devia ser repartida com o Corpo de Cristo. Nunca lutou por direitos autorais, sempre deixou seu material livre para todos, apenas exigia que o contexto e literalidade de suas palavras fossem mantidos.

Seu caminhar era acompanhado de oração e esperança que resultavam na completa medida de Cristo, em um nível mais rico e mais alto de vida espiritual. Para ele isso era suficiente para trazer a Igreja de Deus a uma crescente aproximação da vontade revelada de Cristo, assim, a Igreja poderia ser bem qualificada como instrumento usado por Deus no testemunho às nações e no completar do seu próprio número pela salvação daqueles que ainda serão adicionados pelo Senhor.

Assim como o apóstolo Paulo sentiu o horror da ingratidão e disse: "Você sabe que todos os da província da Ásia me abandonaram" conforme 2 Timóteo 1:15, NVI. Agora o velho Sparks sentia muita ingratidão, pois poucas pessoas permaneceram com ele, entretanto, sempre seguiu os conselhos de Pedro em Atos 5:29, NVI: "É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!".


Theodore Austin-Sparks
Theodore Austin-Sparks.
(1888-1971)
SUAS PALAVRAS

"A verdadeira Igreja, universal e local, é uma ameaça muito grande para o reino de Satanás".

"Há um perigo real no departamentalismo: a separação em grupos isolados de modo que esses grupos não alcancem uma vida e função corporativa da Igreja. É possível termos grupos associados à uma Igreja Local que realmente não possuem uma verdadeira Vida da Igreja. Isso significa fraqueza e perda. Além disso, a Igreja Local deve ser sua própria Escola Bíblica, para instrução sistemática na Palavra de Deus".

"O grande inimigo não desiste em sua determinação de interromper a comunhão e de prejudicar a obra do Senhor ao trazer divisão entre Seu povo. Em todo lugar esta obra maligna está sendo forçada com intensidade crescente. O inimigo está atacando para destruir qualquer coisa que resulte na vinda do Senhor Jesus ao Seu pleno lugar. Nós precisamos permanecer e resistir e fazer tudo em nosso poder para manter este campo longe dele. Isto tem alto custo, e demanda que nós deixemos de lado tudo que é apenas pessoal, e que nós permaneçamos apenas para a glória do nome do nosso Senhor e de Seus interesses. Estou certo que você nunca fará de mim ou de meu ministério um motivo de divisão. Não há necessidade de lutar por mim; o Senhor está no Trono, e Ele pode ordenar as coisas conforme Sua própria vontade".

"Nós precisamos ser muito cuidadosos para não tornar Cristo, ou Sua igreja, menor do que realmente são. Nós não podemos tornar Cristo menor do que Deus determinou. Não podemos torná-Lo apenas o nosso Cristo, nosso pequeno Cristo, o Cristo que pertence a nós, o Cristo da nossa localidade particular!".

"A maior necessidade de toda igreja local é comida espiritual - o Cristo Vivo! Os princípios elementares de Cristo (Leite Espiritual) são bons, mas não são suficientes; nós devemos avançar e aprender obediência por meio da cruz para alcançar a maturidade (Alimento Sólido). Se os princípios elementares se tornarem meras tradições, nós perdemos o frescor e impacto de Vida: 'Nós temos que habitar n'Ele e ministrar nova luz e vida - o Cristo vivo da Bíblia - e alimentar os cristãos com alimento sólido".

"Você pode ter todas as regras e todos os princípios e perder a Vida. Estou quase claro que vocês me permitirão dizer isso para vocês. Esse é um perigo que eu tenho lutado por muitos anos. Esse tem sido meu alvo principal, tentar evitar isso... Nós não queremos ver pessoas saindo por aí dizendo isso deve ser feito dessa maneira, é assim que muitas pessoas fazem nas localidades. Espero que o Senhor nos livre disso... Você não pode simplesmente colocar as pessoas numa Vida sistematizada e fazê-las viver. Tenho quase certeza que vocês vêem a importância disso".

"Não devemos fazer a igreja menor do que Deus a faz. Isso não é nossa pequena igreja. Não é a pequena igreja de pessoa alguma. Isso é muito maior do que os nossos pensamentos. Vai muito além da nossa imaginação. Temos um grandioso Cristo e uma grandiosa Igreja. Devemos nos guardar contra esses perigos. Esse é o perigo sempre presente de reduzir o tamanho de Cristo e da Igreja".

"A compreensão da igreja nos fará maiores e não menores. Não tem nada que nos salvará mais das pequenas coisas do que a verdadeira compreensão de Cristo. Se nós nos tornamos pequenos ou se a obra se torna pequena em sua mente, então, não tem compreensão de Cristo".

"A base da unidade dos crentes não são interpretações, mesmo que estejam corretas, mas é o próprio Cristo. As interpretações sobre as Verdades, sobre a Igreja, sobre a sua Administração não podem trazer unidade, pelo contrário produzem mais divisões. A única coisa que promove a unidade é a Pessoa de Cristo". "A verdade é: Coisas dividem, Cristo une!".


David Wilkerson
David Wilkerson.
(1931-2011)
TESTEMUNHOS

"Um pastor me disse que meu período de sequidão era o meio de Deus me mostrar que experiências emocionais não têm valor. Eu sabia que não era o meu caso. Ninguém poderia tirar a profunda experiência de altos louvores que Deus tinha me dado.
Conforme o tempo passou me convenci de que eu estava compartilhando de uma experiência que muitos outros crentes conheceram: sequidão e provações espirituais depois de uma nova revelação.
Penso em T. Austin-Sparks, consagrado pastor inglês e um dos meus escritores favoritos, que agora está com o Senhor. Pessoas que leram sobre as revelações de Austin-Sparks venderam suas casas e se mudaram para Londres apenas para ouvir suas pregações. Ele era considerado tão piedoso que até Watchman Nee aprendeu com ele.
Uma mulher americana que também estudou com Austin-Sparks escreveu das confissões que ele fez aos seus alunos sobre seus períodos de sequidão. Ele dizia que cada revelação em sua vida era sucedida por um ataque satânico (...). Resumindo, este homem pagou um preço por cada toque de renovação e revelação que recebia da glória de Deus. No seu livro - O Seu grande amor - Austin-Sparks escreve especificamente disto. Ele diz (em paráfrase aproximada minha): 'Depois que verdades maravilhosas nos são reveladas, é algo doloroso descobrir que não alcançamos o ápice... Para irmos ao estágio mais adiantados da verdade, de revelações - algo precisa acontecer conosco. Atravessamos novas experiências de morte, desolação, vazio, desesperança, para alcançarmos algo mais avançado e profundo na revelação divina. Achávamos que havíamos chegado à plenitude do pensamento de Deus. Achávamos que estávamos realmente crescendo e enxergando. E então tudo isso é como se fosse nada... A minha experiência é que através de uma história assim com Deus - ou seja, de uma história de repetidas desolações e vazios após desvendamentos maravilhosos e revelações - você é arrancado daquele lugar seco para novamente ir mais além, à revelações maiores. E sua visão é ampliada...". David Wilkerson.

David Wilkerson
David Wilkerson.
(1931-2011)
"Simplificando, terra seca é um caminho. E se você está nele, então você está indo para algum lugar; não está perdendo terreno ou andando para trás; o seu deserto é o plano do Senhor, obra d'Ele em sua vida, milagres d'Ele a serem realizados. Você está se movendo em direção à uma revelação, à uma nova vitória em Cristo, a caminho de algo maior". David Wilkerson.

"Descrevi uma de minhas próprias experiências áridas e as de T. Austin-Sparks. Eu lhe pergunto, que experiências você teve com altos e baixos espirituais extremos?
Eu relembro: o período de sequidão - o abatimento no seu espírito - é conhecido principalmente daqueles que Deus pretende usar; de fato, é comum a todo aquele que Ele prepara para se aprofundar e avançar mais em Seus caminhos.
Ao olhar atrás para a sua própria experiência árida, pergunte-se: tal período foi o que se seguiu a um renovo do Espírito em sua vida? Talvez você tenha vivido um despertar de renovação. Você voltou à oração sincera, pedindo ao Senhor: 'Toca-me, Jesus. Eu me sinto morno. Tenho consciência de que meu trabalho para contigo não está avançando como deveria. Estou faminto por Ti mais do que jamais estive antes. Quero zelo pela Tua obra: orar pelos doentes, salvar os perdidos, trazer esperança aos que a perderam. Renova-me, Senhor. Quero ser usado para o Teu reino em maior medida'.
Por ter se tornado sério com Deus, suas orações começaram a ser respondidas. Você começou a ouvir a voz de Deus claramente. A intimidade com Ele estava maravilhosa, seu zelo estava crescendo, e você sentia o mover d'Ele em sua vida tão claramente.
Então, um dia, você acordou e os céus pareceram frios como metal. Você foi excluído e não sabia por que. As orações pareciam uma agonia, e você não ouvia a voz de Deus como antes. Seus sentimentos pareciam mortos, seu espírito seco e vazio. Desde então você tem vivido apenas pela fé.
Amado, não entre em pânico! E não se culpe. Eu conheço esse tipo de mergulho pessoalmente, do ponto mais alto da montanha até o fundo do poço. Pedro fala disso especificamente, aconselhando-nos a não pensar que algo estranho esteja acontecendo conosco: 'Não estranheis a estranha provação que vem sobre vós para vos experimentar, como se coisa estranha vos acontecesse. Mas regozijai-vos por serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação de Sua glória vos regozijeis e exulteis' (1 Pedro 4:12-13)". David Wilkerson.

Theodore Austin-Sparks
Theodore Austin-Sparks.
(1888-1971)
Angus Kinnear, o genro de Austin-Sparks, escreveu sobre seu sogro: "Desde seus anos iniciais ele creu no poder e na importância da Palavra de Deus falada, e em todas as instâncias de Sua exposição e aplicação deviam estar relacionadas vitalmente às necessidades atuais e crescentes da vida espiritual das congregações representativas do povo de Deus. Através de Sua Palavra, Deus encontrará os Seus, mas Seu modo de revelação a Seus servos não é meramente através de temas letrados, reclusos ou pesquisados. Ao contrário, faz-se necessário, projeta-se e toma sentido pelo chamado e reação de condições reais.
Seu valor - se é para ser algo mais que palavras - está em ser capaz de tocar o povo do Senhor em suas experiências e necessidades, o que tem sido a ocasião de seu chamado original. Este era o chamado especial de T. Austin-Sparks, um homem trilhando um caminho talvez um pouco à parte de seus contemporâneos, mas sempre fiel a Cristo Jesus seu Salvador e Senhor, e comprometido com uma visão de colheitas espiritualmente frutíferas por todo o campo - o mundo de Deus".

Testemunharam acerca do seu ministério: "T. Austin-Sparks nunca teve a intenção de controlar ou capturar a obra, ele somente ministra Cristo para nós!".

No culto funeral de Theodore Austin-Sparks compareceram centenas de pessoas que responderam com todo o coração à orientação que o irmão Sparks os tinha ajudado a conhecer em Cristo de um modo mais profundo e satisfatório. Se alguém pode fazer os homens notarem algo maior da importância e maravilha de Jesus Cristo, de forma que eles O amem mais e O sirvam melhor, então tal pessoa não viveu em vão. Muitos neste mundo podem dizer que através das palavras escritas ou faladas de "T.A.S." alcançaram elevação espiritual e íntima comunhão com Jesus. Além disso, muitas verdades que ele proclamou e que não foram aceitas na sua época, agora se tornaram largamente aceitas entre os cristãos evangélicos.

Seu ministério demonstrou ser mais frutífero do que ele imaginava e alcançou mais pessoas do que seus opositores esperavam.


FONTE:

Textos diversos.

Wikipédia, a enciclopédia livre.

Austin-Sparks.net.

Biblioteca Online de T. Austin-Sparks.

Editora dos Clássicos.

World Challenge - Home of David Wilkerson Ministries.

Iglesia.net.